Monday, February 19, 2007

A Esquerda que perdeu o monopólio da comunicação e o Dr. JNP



Acho muito engraçada esta polémica em torno do Programa dos Grandes Portugueses.
Ainda ontem enquanto via um programa de televisão onde um dos militantes do bloco de esquerda afirmava que era "anti-democrático" o documentário que o Dr. Jaime Nogueira Pinto fez sobre o Dr. Oliveira Salazar, visto ser um "acto de glorificação e de propaganda à ditadura salazarista" e "um insulto à memória nacional".
Outro bloquista, num blog aqui na internet, faz ainda questão de afirmar que a "RTP não tem de ser neutral nesta matéria" e que a a mesma RTP "deve pedir desculpas a todos os que morreram foram torturados e fugiram do país durante a ditadura".

Respondendo a acusações destas, em nome da verdade, começo em primeiro lugar por fazer uma referência à definição de democracia - do Gr. demokratía s. f., sistema político fundamentado no princípio de que a autoridade emana do povo (conjunto de cidadãos) e é exercida por ele ao investir o poder soberano através de eleições periódicas livres, e no princípio da distribuição equitativa do poder;país em que existe um governo democrático; governo da maioria; sociedade que garante a liberdade de associação e de expressão e na qual não existem distinções ou privilégios de classe hereditários ou arbitrários.

Ora se há liberdade de expressão e, como vimos, ela é parte integrante da democracia, é possível que todos tenham a sua e que não é anti-democrático mostrá-la com toda a certeza. A neutralidade da RTP participa deste ideal. Não censurar opiniões, e contribuir para a educação das consciências, não contanto só aquilo que querem que conte e omitindo outra parte da história.

Quanto ao documentário em questão, penso que há duas questões em ter em conta: em primeiro lugar não se trata de glorificar Salazar ou o Estado Novo. Trata-se de afirmar coisas que a "história" procura esconder. Desde o 25 de Abril, que a história se concentra num homem mau, num ditador, num inculto e num rural.
Para além da actual historia conter mentiras, ela esconde a outra face de Salazar e o bem que fez pela nação.
Em segundo lugar é o aspecto de o programa começar exactamente com a apresentadora, Maria Elisa, a afirmar que o Dr. Jaime Nogueira Pinto vai contar a historia de António de Oliveira Salazar sem esquecer o que de mau aconteceu no país.

Retomando o tema da RTP e a afirmação de que ela "deve pedir desculpas a todos os que morreram, foram torturados e fugiram do país durante a ditadura", para fazer o seguinte reparo: então e não deveria, se seguirmos o mesmo raciocínio, pedir ela desculpas a todos os que morreram, foram roubados e tiveram que fugir do país quando aconteceu o 25 de Abril?

Parece-me que a esquerda começa a perder o monopólio da comunicação. A anti-democracia que eles pretendem que exista e subsista para que o país se mantenha "educado" à sua maneira pode ter os seus dias contados. É verdade que Salazar não fez tudo bem (como nenhum homem nunca o fará), mas também me parece que isso não é razão para que a história só seja feita de uma parte do que aconteceu.

1 comment:

KhelManu said...

Gostei do post...
Acredito que deve existir uma educação de massas, mas baseada na verdade.
Se a esquerda ou a direita tem mais moral? Isso cabe a cada um decidir.
Nunca escondi a minha paixão pelos ideais de esquerda, mas não posso negar o que a direita tem de bom. Enfim, acho que se deve tirar partido daquilo que cada um tem de melhor.

P.S.:
A democracia não é o sistema perfeito, é o "menos mal" dos que existem, melhor que a ditadura, sem dúvida.

Parabéns por este post!!