Friday, May 01, 2009

Sociedade Proletária!

Claro que somos uma sociedade proletária, ou não procura-se a constituição implementar o "socialismo".
Hoje é feriado.
Porquê?
O trabalho é humano, faz parte do homem e onde este se realiza. Trabalhar é um acto importante na medida em que o seu fruto é necessário, mas banal porque é algo inteiramente normal.
Fica a duvida se isso será motivo para ser feriado?
E mais: numa época onde há tantos desempregados, chego a pensar se não será até discriminatório...

2 comments:

JV said...

Ora, Lory, por esa ordem de ideias não haveria licenças de paternidade ou de maternidade na exacta medida em que ser pai e mãe é a coisa mais normal desde que o Mundo é Mundo. Nada é mais banal do que a paternidade: acaso significará que ser pai ou mãe é uma coisa «normal» e impassível de ser celebrada?
O dia do trabalhador tem toda a procedência e uma imensa importância. Nele se celebra o Valor do trabalho, sob a perspectiva social e ética, em se tratando do único modo de desenvolvimento das sociedades, de progresso, de civilização. O trabalho é, com a justiça, uma das coisas que distingue o homem dos animais, e aquela que permite a manutenção das sociedades humanas. A sua valorização, a sua protecção, a sua celebração e a sua instituição como pedra angular da moral, como forma de aperfeiçoamento e de combate ao vício, à preguiça, à conduta contrária ao interesse social, é não só lícita como ingente.
Concedo que o Dia do Trabalhador foi completamente açambarcado pelos partidos de Esquerda, mormente pelo partido comunista. Mas, e peço desculpa por citar F. Nietzsche nesta casa, «o que é grande não pode ser eterno»: há toda a legitimidade em arrancar das mãos dos comunistas esta celebração, conferindo-lhe um estatuto diferente, que não seja o do marxismo-leninismo mas que reconheça a importância do trabalho nas dimensões de que acima dei conta.

Lory said...

Caro JV

que bom vê-lo nesta sua casa. Já lá vai o tempo...

Permita-me no entanto discordar consigo, apesar de o texto ter sido escrito de forma um tanto agressiva e pouco fundamentada, o que permite criticas.

As licenças de paternidade e maternidade tem um interesse social muito objectivo, a educação dos mais novos, renocação geracional, etc. e é da natureza das coisas que elas existam. Só não aconteceriam se vivessemos, como ainda vivem algumas familias, segundo o tipo de familia tradicional, onde a mãe tem com missão imperiosa cuidar dos filhos.
Já o dia do trabalhador não tem qualquer utilidade. É um feriado pronto. Mas acho que nesta época de crise, o melhor seria deixar-mo-nos destas festividades, quando ainda por cima, há um número gigante de desempregados.

Um Abraço