Tuesday, April 21, 2009

Um boneco que muda a história!



Disse o Prof. António Ventura, que o Portugal do Estado Novo era um país paroquial.
Pergunto-me se não continuamos a sê-lo?
Foi o que constatei no sábado passado quando me dirigi à SHIP, para assistir à conferência do Mário e do Eurico de Barros. E foi mais que um momento de cultura; mais que o revisitar Herge, revisitando Tintin.
O convívio final levou-me a perceber como vivemos num lugar onde todos nos conhecemos e temos amigos comuns. Tal como as personagens de Tintin.
Ao chegar não conhecia ninguém pessoalmente. Só tinha o prazer de ler as crónicas de cada um na blogosfera.
À saída cumprimentei um candidato às europeias e até tive boleia do Duarte!

Valeu a pena sair de casa naquele dia chuvoso, para encontrar e conhecer pessoalmente aqueles que já sigo à alguns anos, através da leitura dos blogues de cada um. A conversa com o Mário foi impagável, e agradeço-lhe a extrema amabilidade e simpatia com que me recebeu. E para o com o Duarte fiquei em divida pela paciência que teve em permanecer na conversa à chuva, e de me acompanhar ao multibanco para eu poder comprar a Terra e Povo, e de me dar boleia até ao metro.
Como dizíamos no convívio final, à porta do Palácio da Independência, para a maioria das pessoas somos loucos.
Mas somos uns loucos extremamente simpáticos, afáveis e humanos!

Resta-me fazer minhas as palavras do Duarte: está de parabéns o Núcleo Infante D. Henrique. E agora vamos trabalhar para que a ideia dos encontros periódicos vá para a frente.

11 comments:

nonas said...

Esse senhor professor, conhecido "irmão" do GOL tem inveja do Portugal paroquial porque agora temos o Portugal das capelinhas... maçónicas e corruptas.

Lory said...

O paroquial de que falo remete-nos para o pais onde tudo se sabe e todos nos conhecemos!

Sabe, eu pretendia ir ao seu blog, para lhe agradecer a ideia da conferencia, sendo que ninguém deixou passar a oportunidade de lhe fazer a devida homenagem,pela brilhante ideia que teve,mas calculei que já lho tivessem dito.

Um abraço

a voz said...

Caro Lory Boy
Foi um Prazer!
Abraço.
Mário

Manuel said...

Eu compreendo as palavras do jovem...
E ainda não me encontrou a mim!
Se soubesse quantos Duques conheço eu...

Lory said...

Caro Manuel

não duvido de nada!
Sei que Evora é uma bela, mas passo pouco por lá. So mesmo para visitar familia e o Magnifico Convento do Espinheiro, que tem sido objecto de tese de um amigo meu.
Mas numa actividade como esta que foi promovida no dia 18, havemos de nos encontrar!

Um Abraço

nonas said...
This comment has been removed by the author.
nonas said...

Obrigado, Lory Boy.
O êxito da iniciativa deve-se a um trabalho em conjunto cujo mérito principal pertence à SHIP e ao Núcleo Infante Henrique.
Tudo o mais é excesso de amizade.
Aproveite para passar pelo Manlius que nos traz mais notícias sobre o Tintin e a relação entre o cap. Haddock e o Céline!

Um abraço

Miguel Vaz said...

Grande almoço. Gostei de te conhecer ;) «Isto vai, por Deus!»

DB said...

Essa dívida, que obviamente não reconheço, se é que alguma vez existiu, foi saldada com um óptimo almoço.

Grande abraço.

Lory said...

Miguel,
Faço minhas as tuas palavras. Agora é ver se isto se vai repetindo!
Abraço

Duarte,
assim sendo, obrigado. Só foi uma pena não ter conseguido provar a mousse com café!
Abraço

Escarapão said...

A "molha" valeu a pena Caríssimo.
A Terra e Povo foi devorada com avidez entre o Sábado e Domingo.
Quando houver qualquer actividade é dizer quer lá estarei para tertuliar.
Um Abraço