Friday, November 17, 2006


Queria que fosse sempre Outono,
Que me pudesse perder entre estações,
Que o tempo parasse, e o corpo,
Fosse eterno como a alma.

Queria que fosse sempre Outono,
Que houvesse sempre outro início,
E não doesse em mim a mancha
De um caminho mal percorrido.

Queria que fosse sempre Outono,
Para que o Inverno fosse somente,
Um ainda distante presente.

Queria que fosse sempre Outono,
Que eu não crescesse nunca,
Nem me soubesse livre.

1 comment: