Friday, May 26, 2006

Os Vencidos da Vida

A propósito do nome...

"Para um homem, o ser vencido ou derrotado na vida depende, não da realidade aparente a que chegou – mas do ideal íntimo a que aspirava".

Como o Lourenço disse, o artista não se prende a burocracias, nem tão pouco a avaliações externas, porque só ele tem consciência do verdadeiro valor da sua obra...

4 comments:

ZMD said...

Cara Inês tenho que discordar. Não é o artista que avalia o valor da sua obra.

O artista é aquele que representa a realidade. Por isso se alguém olha para a tua obra e esta n aponta para nada, a n ser para ti então n és artista, és egocentrica.

Quanto ao título, n consigo perceber como é que nós podemos ser vencidos. O sepulcro vazio é a certeza da nossa vitória.

P.S.: Gostei mto do blog

Tiago Bianchi said...

Amigos 3 coisas:
1) Parabéns pela iniciativa do Blog (pelo Blog o futuro o dirá),
2) para já começaram bem, por um caminho duro, mas bem. Isto de começar pela arte, pelos artistas, é um grande desafio...
3) O artista, a arte é aquela expressão do homem que intui o mistério, é sinal do mistério. O génio é aquele que expressa algo que é comum ao homem, no qual todos se revêm.
...
querem um exemplo: as palavras de Sp0hia de Mello Breyner no vosso Blog, eis o artista vencedor.

Inês Avelar said...

Caro Zé,
o artista tem sempre consciência da sua obra...os outros é que nem sempre têm. Há vários artistas na história que viram a sua obra incompreendida e condenada pelos seus contemporâneos mas que mais tarde são consideradas geniais.

O artista ou tem talento ou não tem, se não tem não é artista. Logo penso que o facto de este ser egocêntrico ou não, não está minimamente relacionado com a questão.

Em relação ao título é muito simples, quando nos propomos uma meta e não a atingimos - falhámos.

ZMD said...

Inês, se o artista aponta apenas para si então n pode ser um génio.

Toma como exemplo a arte moderna. Onde cada um é livre de interpetar a obra com quer, pq é apenas expressao do sentimento do autor e portanto relativo.

Moral da história, é feio.

Ou a arte aponta para a vida, ou então n é arte.

Quanto ao título. A nossa meta, a meta do homem, é o Céu. E para atingir essa meta n é preciso nda mais do que a nossa liberdade, o resto é feito pela Graça de Deus. Por isso te dizia, a nossa vitória é garantida pelo sepulcro vazio.