Wednesday, May 24, 2006

O Homem e o sofrimento

Com a dor, uma pessoa fecha-se – isola-se perante o que a rodeia pelo medo. E o medo leva-nos ao pecado – ao nos afastar, acabamos por tomar uma atitude egoísta inconsciente.

Devemos então abraçar a dor, aceitando-a, procurando encontrar o significado da sua existência – não é uma negação ao sofrimento pois este tem que viver presente na nossa vida – sem ela a nossa vida não passaria de momentos lineares, aonde o próprio significado de Humanidade perderia o seu sentido pela incapacidade de conseguir distinguir a felicidade na sua concepção mais pura.

Mas aonde encontramos a felicidade? Em Cristo…

6 comments:

MR_Y said...

Long live Nietzsche. Fuck religion.

Gonçalo said...

Se há alguma coisa que concordo com Marx é mesmo a célebre citação "a religião é o ópio do povo"

Bernardo said...

zé, muitos parabens pela iniciativa do blog, gosto de ver.. nao percebi ainda muito bem que orientação lhe queres dar, mas fica ciente que geralmente os blogs muito abstractos e filosóficos, apesar de proporcionarem uma leitura profunda, acabam por morrer por inacção... Permitam-se a par disso escrever coisas mais no concreto, dirigidas à vivência comum, e verás como o vosso blog se torna um espaço concorrido. aurea mediocritas, no meio (e no equilíbrio) está a virtude, meu rapaz! um abraço

Bernardo said...

...ah e ignora estes outros palermas. Ou muito me engano, ou nem sabem o que é religião.

bicoides said...

Tudo o que dizes é verdade. No entanto, também não podes ingnorar certos pontos em contrario. É mau isolares-te, mas não te podes abrir por completo, pois perdes o teu espaço, e não te podes esquecer que também precisas dele.
Outro ponto a ter em conta, é o simples facto da dor. Eu posso estar tristes e sofrer, o que não me obriga a pecar, nem a desesperar.

Ze Sarmento said...

Claro que não te obriga a pecar, mas pode ser um caminho... Por outro lado ninguém te pede que te abras completamente, só que não te isoles porque esse, esse é um caminho para o pecado...